DICAS: FAZENDO A MALA

Normalmente a gente se organiza de maneiras diferentes pra cada viagem. Mas sempre existem algumas coisas que não podem faltar na bagagem. Imagina se o pneu fura depois que a bomba quebrou? Então, o que levar em uma viagem de bicicleta?

O nosso “bikeflow” funciona da seguinte maneira. Primeiro, o destino. Ai começa a pesquisa sobre a rota e pra isso o Google Earth é incrível. Enquanto vamos definindo o percurso no programa, já vamos vendo as fotos dos lugares e decidindo onde passar. Dá pra ver a elevação do trajeto e de quebra incluir um supermercado pra passar no caminho. Junto a ele, gostamos muito do Ridewithgps pra criar a rota que  subimos pro GPS. GPS!!! Talvez a melhor invenção pro cicloturista que quer seguir uma rota pré determinada. A maioria dos smartphones permitem baixar alguns programas que fazem o mesmo trabalho porém a autonomia do GPS é bem maior (no nosso caso, um Garmin Edge 200) e a gente costuma deixar o telefone pra emergências. Um outro aplicativo interessante é o maps.me. É gratuito e faz o download dos mapas do destino pra poder ser usado offline. No nosso caso, viajando com uma criança de dois anos, é sempre importante saber onde estão os pontos de apoio mais próximos.

Em uma cicloviagem, qualquer 100 gramas parecem 10 quilos quando o vento está contra. Então, quanto menos, melhor. Voce só precisa de três coisas. Dormir, comer e pedalar. Você pode dormir em pousadas, comer em restaurantes e pedalar bem leve mas, não sendo este o nosso caso, vamos falar da nossa barraca.

Como somos três, optamos por uma barraca pra 4 pessoas do tipo iglu com duas portas. Pesa em torno de 3,5kg já enrolada junto com uma lona quebra galho com comprimento de 2 vezes o tamanho da barraca. A “pessoa” extra são todas as malas que também dormem dentro. Cada um tem seu saco de dormir, desses simples mesmo, e pra compor o kit, dois colchonetes isolantes térmicos vão enrolados juntos pra economizar espaço. Funciona pra impedir o frio que vem do chão. Tem gente que leva colchão inflável mas como conforto significa peso, a única coisa inflável são os travesseiros. Pra fechar, toalhas de secagem rápida que ficam bem compactas.

Pra parte gastronômica da jornada, um fogareiro que custou 10 reais e funciona com álcool comum ou combustível pra automóvel. Funciona bem, quando não esta ventando. Nesse caso, a gente tenta cobrir três lados dele pro vento não passar. As vezes funciona, as vezes comemos biscoito. Compondo o grupo, um kit de camping de panelas pra duas pessoas que se encaixam entre si, são bem leves e ocupam pouco espaço. Os talheres são de plástico, próprios pra camping. Funcionam bem, até a faca. Duas canecas de plástico e duas mamadeiras. Fechando o pacote, uma lanterna de cabeça pra cozinhar a noite e um kit de limpeza.

Pras bicicletas, quase tudo. Como vamos depender delas pra chegar em qualquer lugar, devem estar sempre funcionando. O kit de ferramentas tem desde uma gancheira extra até remendo de corrente e parafusos. No fim do post, uma lista mais detalhada da caixa mágica, junto com a checklist de tudo que levamos. Dependendo do destino ou se for ficar longe da bicicleta por algum tempo, vale levar um cadeado. Pra nossa filha, um trailer com espaço pra duas crianças com um porta-malas que dá pra levar bastante coisa. O trailer é à prova d’água e tem uma tela contra mosquito e pedras se quiser andar com ele aberto. Tem um cinto de 5 pontas e ela vai bem confortável dentro. Ainda, se a rota planejada for passar por muitas estradas movimentadas de asfalto, vale adquirir um daqueles coletes de Equipamento de Proteção Individual fluorescentes pra dar aquele brilho extra.

Seguindo a logica do menos é mais, deixamos de lado a Canon e optamos por uma câmera com lente Leica à prova de sujeira e água, que fica no pescoço o tempo todo. Ocupa menos espaço, é discreta e a atende ao propósito. Imagina pegar uma tempestade com “aquela” lente da canon. Seria de chorar.

Falando em tempestade, capa de chuva é imprescindível. Pode ser daquelas simples mas tenha em mente que se você forçar o ritmo, vai começar a suar e dentro vai virar uma sauna. Quente na chuva é bom mas quando parar, todo o suor vai te “congelar”. Costumamos levar daqueles sacos plásticos com ziplock pra coisas mais importantes. Os alforges são 100% à prova d’água então não preocupamos com o conteúdo.

Pra terminar, duas nécessaires, uma com kit de produtos de higiene e a outra com kit de primeiros socorros. Não esqueça o filtro solar.

Segue a nossa checklist. É uma imagem, se quiser, pode salvar e imprimir pra usar de referência.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s